Gengibre

Propriedades
Descongestionante, tônico, expectorante, eupéptico, afrodisíaco, digestivo, carminativo, sudorífero.
Uma planta originária do sudeste asiático, o gengibre é geralmente cultivado em climas tropicais e é popular por seus pungentes rizomas (raízes) picantes e aromáticos.A planta produz aglomerados de brotos de flores brancas e cor de rosas que florescem no inverno. Devido à sua beleza estética e adaptabilidade a climas mornos, a planta é geralmente usada para ornamentação. O gengibre é um caule subterrâneo grosso, nodoso e bege; ele se estende a 12 polegadas acima do solo com estreitas e nervuradas folhas verdes e flores verde-amareladas. O gengibre estimula a produção de saliva. 
Óleos voláteis e compostos de fenol picantes (tais como gingerol e shogaol) são importantes componentes da raiz do gengibre. Pesquisas medicinais têm constatado que o gengibre pode efetivamente tratar as náuseas causadas por movimento. Como a raiz contem diversos antioxidantes, ela é desidratada e transformada em pilulas para uso medicinal. 

O Gingerale (refrigerante de gengibre) e Ginger Beer (cerveja de gengibre) têm sido há muito tempo usados como aliviador estomacal. O suco de gengibre tem sido geralmente usado em muitos países para prevenir cãimbras de calor. O gengibre fresco socado tem sido geralmente usado para tratar os sintomas de resfriado e gripe, dor de garganta e dor de cabeça. De acordo com alguns pesquisadores o gengibre pode baixar o colesterol, prevenir coágulos no sangue e ataques cardíacos. Portanto o gengibre deveria fazer parte de nossa dieta diária. Com relação ao uso culinário, um importante ingrediente em diferentes cozinhas, o gengibre é usado para saborizar e tornar a carne melhor digerível. Ele é usado fresco ou seco, grelhado ou preservado em açúcar, como xarope ou vinagre. Além de adicionar sabor aos tradicionais curries e refeições não vegetarianas, ele é amplamente usado em países asiáticos para dar sabor ao chá. Mas em países como a China e o Japão, o gengibre é usado em sopas e molhos. Surpreendentemente o uso de gengibre na cozinha européia tem declinado desde o século 18. Mas ele é, ainda, algumas vezes usado para temperar drinques, comido cru com tofu ou macarrão instantâneo, como pão de gengibre, ginger snaps (um tipo de biscoito), bolo de gengibre e biscoitos de gengibre.

Gengibre: benefícios na saúde

Como planta medicinal, o gengibre é uma das mais antigas e populares do mundo. Suas propriedades terapêuticas são resultado da ação de várias substâncias, especialmente do óleo essencial que contém canfeno, felandreno, zingibereno e zingerona.


Popularmente, o chá de gengibre, feito com pedaços do rizoma fresco fervido em água, é usado no tratamento contra gripes, tosses, resfriado e até ressaca. Banhos e compressas quentes de gengibre são indicados para aliviar os sintomas de gota, artrite, dores de cabeça e na coluna, além de diminuir a congestão nasal, cólicas menstruais.
No Japão, massagens com óleo de gengibre são tratamentos tradicionais e famosos para problemas de coluna e articulações. Na fitoterapia chinesa, a raiz do gengibre é chamada de “Gan Jiang” e apresenta as propriedades acre e quente. Sua ação mais importante é a de aquecer o baço e o estômago, expelindo o frio. É usada contra a perda de apetite, membros frios, diarréia, vômitos e dor abdominal. Aquece os pulmões e transforma as secreções. Na medicina Ayurvédica, o Zingiber officinale é conhecido como “medicamento universal”.
Além desses benefícios, o gengibre também tem ação bactericida, é desintoxicante e possui poder afrodisíaco - onde seu óleo é utilizado para massagear o abdomen, provocando calor ao corpo e excitando os órgãos sexuais. Na medicina chinesa tradicional, por sua reconhecida ação na circulação sangüínea, ele é utilizado contra a disfunção erétil. Uma pesquisa da Unicamp realizada em coelhos, comprovou os efeitos.
Recentemente, a OMS (Organização Mundial da Saúde) reconheceu a ação dessa planta sobre o sistema digestivo, tornando-a oficialmente indicada para evitar enjôos e náuseas, confirmando alguns dos seus usos populares, onde o gengibre é indicado na digestão de alimentos gordurosos.


O uso na Culinária
Possui sabor picante e pode ser usado tanto em pratos salgados quanto nos doces e sob diversas formas, como: fresco, seco, em conserva ou cristalizado. O que não é recomendado é substituir uma forma pela outra, nas receitas, pois seus sabores são muito distintos: o gengibre seco é mais aromático e tem sabor mais suave.
Este último é amplamente utilizado na China, no Japão, na Indonésia, na Índia e na Tailândia. No Japão costuma-se usar o suco (com o gengibre espremido) para temperar frango e as conservas (beni shooga), feitas com os rizomas jovens, são consumidas puras ou com sushi. Já o gengibre cristalizado é um dos confeitos mais consumidos no Sudeste Asiático.
 

Quer esquentar e espantar a preguiça?


Como planta medicinal, o gengibre é uma das mais antigas e populares do mundo. Suas propriedades terapêuticas são resultado da ação de várias substâncias, especialmente do óleo essencial que contém canfeno, felandreno, zingibereno e zingerona.
Popularmente, o chá de gengibre, feito com pedaços do rizoma fresco fervido em água, é usado no tratamento contra gripes, tosses, resfriados e até ressaca. Banhos e compressas quentes de gengibre são indicados para aliviar os sintomas de gota, artrite, dores de cabeça e na coluna, além de diminuir a congestão nasal, cólicas menstruais etc.
No Japão, massagens com óleo de gengibre são tratamentos tradicionais e famosos para problemas de coluna e articulações. Na fitoterapia chinesa, a raiz do gengibre é chamada de "Can Jiang" e apresenta as propriedades acre e quente. Sua ação mais importante é a de aquecer o baço e o estômago, expelindo o frio. É usada contra a perda de apetite, membros frios, diarréia, vômitos e dor abdominal. Aquece os pulmões e fluidifica as secreções para serem mais facilmente expelidas. Na medicina hindu Ayurvédica, o Zingiber officinale é conhecido como "medicamento universal".
Além desses benefícios, o gengibre também tem ação bactericida, é desintoxicante e possui poder afrodisíaco - onde seu óleo é utilizado para massagear o abdômen, provocando calor ao corpo e mobilizando a energia dos órgãos sexuais. Na medicina chinesa tradicional, por sua reconhecida ação na circulação sanguínea, ele é utilizado contra a disfunção erétil. Uma pesquisa da Unicamp realizada em coelhos, comprovou tais efeitos.
Recentemente, a OMS (Organização Mundial da Saúde) reconheceu a ação dessa planta sobre o sistema digestivo, tornando-a oficialmente indicada para evitar enjôos e náuseas, confirmando alguns dos seus usos populares, quando é indicado na digestão de alimentos gordurosos.

Chá de Gengibre
Benefícios: melhora a circulação sanguínea, previne coágulos, tem ação antiinflamatória, antibiótica, antioxidante, estimulante e antidepressiva. "Turbina" o ânimo e a disposição geral. É indicado também para tratar enjôos, enxaqueca, gripes, gastrite e úlceras. É auxiliar no emagrecimento pela ação digestiva e termogênica.
Ingredientes: 1 pedaço de uns 5 cm de raiz gengibre, 1/2 limão, 1/2 litro de água, 1 pau de canela, 4 a 5 cravos-da-índia, 1 pitada de noz moscada ou cardamomo.
Preparo: gengibre e limão. Corte o gengibre em rodelas. Esprema o suco do limão. Coloque o suco e as rodelas em uma panela (de inox) e acrescente a água, a canela e o cravo. Ferva em fogo brando. Acrescente a noz moscada ou cardamomo.

Mais sobre as propriedades e benefícios do uso do gengibre


Veja aqui as principais indicações do gengibre:

  •  Contra enjoo, náusea, (Seu efeito antináusea é reconhecido pela ANVISA. Essa aplicação vem sendo testada em pacientes que se submetem ao tratamento da quimioterapia e vem apresentando resultados positivos) 2 a 4g diariamente, sob forma de chá infusão ou decocção;
  • Contra ressaca, tomar o chá
  • Contra resfriados, tosse, bronquites, asma,
  • Rouquidão, inflamações na garganta e para clarear a voz, usado sob forma de cristais; em pequenos pedaços, mastigando.
  • Ajuda a fortalecer o sistema imunológico.
  • Possui antiinflamatório natural e, por isto é eficiente nas aplicações para aliviar as dores.
  • Combate cólicas causadas pelo acúmulo de gases, constipação, auxilia na expulsão de resíduos alimentares estagnados do sistema digestivo.
  • É expectorante e sudorífero, aquece os pulmões e seca a umidade excessiva dos mesmos, auxiliando na expulsão do muco do sistema respiratório. Produz um aquecimento do corpo através da circulação sanguínea sendo eficaz para casos crônicos de extremidades frias ou com um sistema linfático, usar o xarope.
  • É fonte natural de antioxidante, contribuindo para a diminuição dos efeitos do envelhecimento.
  • Por ser considerado um vegetal afrodisíaco, é indicado contra a impotência sexual masculina.
  • A maior indicação de uso externo refere-se a dores musculares e correlatas.
  • Contra traumatismo, reumatismo e artrite, é usado o óleo (misturado com algum outro óleo neutro) em fricções leves. No Japão, o óleo é também empregado em massagens na coluna e articulações.
  • Para dores de ouvido, aplicar algodão embebido no óleo de gengibre.
  • Como anti-séptico e contra mau hálito fazer bochechos com a tintura; também pode ser mastigado um pequeno pedaço da planta.
A medicina chinesa recomenda 3 a 10g diárias de gengibre deixadas em decocção por uma noite; dissolver esse suco em água e ingerir quando apresentar os seguintes casos: bronquite crônica, vômito, náusea, dores de estômago, náusea ou diarréia por insuficiência do baço, vômitos e dores de estômago devido à síndrome de frio no estômago e frio nos pulmões;

Na homeopatia (procurar médico homeopata para a manipulação da homepatia)

  • Enxaqueca
  • Asma ou enfisema sem ansiedade
  • Bronquite
  • Digestão lenta, com gases e acidez do estômago
  • Diarréia flatulenta, com cólicas
  • Hemorróidas dolorosas e que queimam
  • Hemorragias uterinas passivas, de sangre negro
  • Hemorragia pós-parto ou da menopausa
  • Inflamação da uretra, com secreção amarelada e fluida
  • Urinas turvas e de mau cheiro que queimam ao passar
  • Pessoa nervosa e inquieta mais à noite, sente desconforto nos pés sem saber o que fazer, irritabilidade ao anoitecer e durante a menstruação
  • Esquecimento, com memória fraca ou aumento da atividade mental
  • Vertigem, dores de cabeça frontal hemicraniania
  • Ardência nos olhos, fotofobia sensação de areia nos olhos, dores de cabeça que afetam a visão
  • Coriza
  • Secura na garganta
  • Transtornos gástricos, náuseas, digestão débil
  • Diarréia
  • Dores nos rins
  • Asma, ardor abaixo da laringe
  • Rigidez de nuca
  • Dores reumáticas, dores nos pés
  • Sonolência
  • Calafrios ao anoitecer
Formas de emprego
Usado sob forma de:


  • chá
  • suco
  • tintura
  • óleo
  • xarope
  • cataplasma
  • cortado em pequenos pedaços (para ser mastigado e aspirado)
  • ralado (culinária e fabricação de bebidas)
  • lascas (culinária e fabricação de bebidas)
  • em pó (culinária e fabricação de bebidas)
Com o seco do rizoma fresco, misturado com outros ingredientes, preparam-se cremes e pomadas.

Modo de preparo
Infusão: para cada colher de chá de raiz triturada, coloca 1 xícara de chá de água quente, deixar repousar por alguns minutos. 


Macerado: 0,5 - 1g de pedaço pequeno da raiz em 1/2 litro de água fria, deixar em repouso cerca de 2 horas antes de usar. 
Decocção: preparar com 1 colher (chá) de raiz triturada em 1 xícara de chá de água, tomar 4 xícaras de chá ao dia. 

Xarope: pode ser ralado e adicionado a xaropes para curtir por um tempo, junto com outras ervas. 

Cataplasma: preparar com gengibre bem moído ou ralado e amassado num pano, e deixar no local (para reumatismos e traumatismos na coluna vertebral e articulações). 

Rizoma fresco: mascar um pedaço (rouquidão). 

Tintura: 100 g do rizoma moído em 0,5 l de álcool, fazer fricções para reumatismos.

Uso moderado* O gengibre, por ser uma raiz forte, deve ser usado sempre com moderação, quando necessário e com as devidas precauções. Em caso de dúvida, devemos consultar um especialista (médico, naturalista, etc.). * Todos os medicamentos, inclusive os fitoterápicos, devem ser utilizados apenas com indicação médica.
* Nunca preparar muito concentrado, não exagerar nas doses e nem no tempo de uso.
* Nas casas que vendem produtos de aromaterapia são encontrados óleos de banho que contém, em sua formulação, o óleo de gengibre.


Como comprar e usar
Escolha seu gengibre com a pele sem rugas, pois assim ele não estará fibroso. Descarte os pedaços sem cor, e com as pontas mofadas. Gengibres mais velhos têm o gosto mais forte e mais ardido e, portanto, deverão ser usados com moderação. Eles podem ser guardados dentro de um saco de papel na parte baixa da geladeira por várias semanas.
Para prepará-lo, simplesmente descasque com uma faca afiada e rale ou corte-o em fatias finas.


Cuidados com o Uso

  • Externamente, pode causar queimaduras ou irritações, por isso, deve ser observado o local da aplicação, principalmente pessoas com a pele muito sensível ou com eczema.
  • Antes de usar o óleo na pele, pela primeira vez, deve ser feito um teste de reação, misturando uma gota do óleo com algumas gotas de outro óleo neutro colocando-se nas dobras do cotovelo ou joelho e aguardando cerca de 24hs. Caso a pele não apresente nenhuma reação: vermelhidão e nem coceira, pode ser empregado, porém com moderação.
  • Após cortar o rizoma, lavar as mãos para evitar que a pele fique manchada.
  • Não usar quando for se expor ao sol.
  • Por ser irritante ao estômago, não deve ser ingerida  tintura pura, principalmente por pessoas com úlcera.
  • Não é recomendado para pessoas com cálculos biliares.
  • O uso não é indicado para gestantes, porque pode provocar efeitos colaterais para o feto e induzir o aborto.
  • O óleo tem propriedades hipertensivas, por isso, deve ser evitado por pessoas que tenham a pressão sanguínea elevada.
  • Em casos de cirurgia bucal (de gengiva ou extrações dentárias), não são recomendados os buchechos nas primeiras horas.
Não deve ser administrado para crianças menores de seis anos.

Fonte: Vários textos da web

Desidratar:
Coloque no forno médio,  uns dez minutos, se quiser pode acrescentar, sal ou açúcar em pequenas quantidades.

Cristais de gengibre
Descascar 200 gramas de rizoma de gengibre.
Lavar os rizomas.
Ralar os rizomas em um ralo de inox grosso.
Colocar os rizomas ralados em uma bandeja.
Adicionar o suco de dois limões e duas colheres das de sopa de sal marinho ao rizoma ralado.
Fazer uma boa mistura.
Deixar em maceração dentro da bandeja no sol duran­te uma semana, para desidratar.
Durante a noite, recolher a bandeja para no dia seguinte ser novamente posta ao sol, até completar uma semana.
Guardar em recipiente limpo.

Quando e como usar os cristais de gengibre

Indicações: Rouquidão, irritação na garganta.
Modo de usar: Mastigar os cristais de gengibre em pequenas porções. Repetir o tratamento pelo tempo necessário à cura.
Contra-indicações: Hipertensos e pessoas com hipersensibilidade ao gengibre.

Gori (gengibre em conserva)
Ingredientes
1 kg de gengibre
1 colher de sopa de sal
água (suficiente para cobrir o gengibre)

Preparação
Descasque o gengibre e corte-o em tiras finas.
Coloque sal e aguarde a desidratação.
Lave-o em bastante água e deixe cozinhar 10 minutos numa panela com água.
Escorra e deixe arrefecer.
Acrescente vinagre de arroz e conserve no frigorifico durante 1 ano.

Tudo sobre o gengibre

Universo dos Alimentos 2008

TOP