sábado, 5 de agosto de 2017

Creme de batata roxa



500g de batata doce roxa
5 bagas de cardamomo (abra as bagas e use somente as sementes)
óleo de coco ou azeite
3 dentes de alho
1 colher de chá de pimenta do reino em grão
leite de amêndoas
sal

Descasque a batata e pique rusticamente.
Doure os temperos no óleo de coco e em seguida adicione a batata, cubra com água e assim que ferver baixe o lume. Coloque um pouco de sal e cozinhe em lume baixo até que a batata fique macia.
3. Triture tudo até formar um creme e finalize com leite de amêndoas.

Sirva com algo al dente por cima, eu finalizei com brócolis salteado no azeite com alho, pimentão vermelho e cúrcuma fresca.

Pode servir fria.


Receita do blog "Prato de papel"

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Porque é importante reaproveitar os alimentos?



Você sabia que aquela casca de banana que você joga fora possui duas vezes e meia mais vitamina C do que a polpa da fruta? As cascas, talos, sementes e folhas dos vegetais e frutas que costumamos desprezar podem ser muito saudáveis. "As partes não convencionais dos alimentos possuem um rico valor nutricional, ou seja, a quantidade de vitaminas, sais minerais e proteínas concentradas podem aparecer até em quantidade maior do que na parte costumeiramente utilizada", observa a nutricionista Lenita Borba do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia.

Aproveitar as frutas e vegetais ao máximo é cada vez mais importante em um mundo onde 1,3 bilhão de toneladas de alimentos é desperdiçado anualmente de acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura. Confira quais as partes de alimentos que você deve parar de jogar no lixo e passar a colocar na panela, conheça os seus benefícios para a saúde e aprenda receitas saborosas com eles.


Casca de abóbora

A casca de abóbora é rica em fibras, vitamina C e carotenoides. "O consumo deste último nutriente auxilia na prevenção de doenças cardíacas e câncer, também previne problemas de visão e de pele", explica a nutricionista Silvia Honorato da Silva, supervisora do programa Alimente-se bem do Sesi São Paulo.

Um estudo sul-coreano publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry dos Estados Unidos concluiu que a casca da abóbora possui uma proteína chamada Pr-2 que tem um poderoso efeito antifúngico. Ela enfrenta o fungo que causa infecções vaginais, assaduras e outros problemas de saúde.

A casca de abóbora pode ser utilizada em saladas, para enriquecer o arroz e ser servida como um canapé. Em todos os casos é preciso ferver o alimento antes já que o seu aspecto é muito duro e a espécie de abóbora utilizada é a seca.

-Confira em quais nutrientes a casca da abóbora vence a polpa


Proteínas: 100 gramas de casca possuem 1,5 gramas, enquanto a mesma quantidade da polpa têm 0,81g.
Fibras: A casca possui mais do que o dobro deste nutriente do que a polpa. 100 gramas de casca têm 2,34 g enquanto a mesma quantidade de polpa possui 1,06 g.
Potássio: 100 gramas de casca possuem 0,51g, enquanto a mesma quantidade da polpa têm 0,33g. 



Casca de banana

A casca de banana é rica em vitaminas A, C e do complexo B e fósforo. "O fósforo é um mineral que atua no metabolismo auxiliando na ativação das vitaminas do complexo B e também tem a função de fortalecer ossos e dentes, juntamente com o cálcio", conta Silva.

Uma pesquisa publicada pela Bioscience, Biotechnology and Biochemistry, revista da Sociedade Japonesa de Biociência, Biotecnologia e Agroquímica concluiu que a casca de banana é benéfica para quem possui câncer de próstata. O extrato da casca ajudaria a reduzir o aumento da glândula da próstata. A casca de banana pode ser utilizada na produção de doces como bolos ou geleias.

-Confira em quais nutrientes a casca da banana vence a polpa:


Vitamina C: A casca conta com duas vezes e meia mais vitamina C do que a polpa. 100 gramas de casca possuem 10,14 mg enquanto a mesma quantidade da polpa têm 3,9 mg. O nutriente irá aumentar as defesas do organismo, contribuindo na prevenção e no combate de infecções como a gripe.

Potássio: A casca também tem o dobro de potássio da polpa. 100 gramas de casca possuem 0,93g enquanto a mesma quantidade da polpa têm 0,45 g. O potássio auxilia nas contrações musculares, além de ser importante, juntamente com outros nutrientes, para melhorar a circulação sanguínea. 



Casca de maracujá

A casca de maracujá, estamos falando daquela parte branca da fruta, é cheia de benefícios. Ela é rica em pectina, niacina, ferro, cálcio e fósforo. "A pectina é uma fibra solúvel, que auxilia na redução dos níveis de absorção de colesterol pela corrente sanguínea, ajudando a prevenção de doenças cardiovasculares. Ajuda também nos casos de diabetes, diminuindo a absorção de gorduras e açúcares presentes nos alimentos", esclarece Silva.

Esta parte da fruta é utilizada para fazer a farinha de maracujá que possui diversos benefícios para a saúde. A farinha promove a saciedade, contribuindo para o emagrecimento, previne o diabetes e ajuda quem já tem o quadro, colabora com a digestão e melhora as taxas de colesterol e triglicérides.

A casca do maracujá pode ser utilizada para enriquecer saladas, na forma de cremes para acompanhar carnes, como um purê e também para doces.

-Confira em quais nutrientes a casca do maracujá vence o suco

Fibras: A casca conta com dez vezes mais fibras do que o suco. 100 gramas de casca possuem 5,2 g enquanto a mesma quantidade do suco têm 0,51 g.

Vitamina C: 100 gramas de casca possuem 21 mg enquanto a mesma quantidade do suco têm 20mg. 



Casca de laranja

A casca de laranja é rica em fósforo, cálcio, fibras e em carboidratos. "Este último fornece energia ao corpo para realizarmos nossas atividades diárias, como andar, correr, falar ou mesmo respirar", afirma Borba.

Uma pesquisa do Arizona Cancer Center nos Estados Unidos concluiu que a casca de laranja é rica em limoneno, substância que tem se mostrado eficaz no combate ao câncer de mama e de cólon. A casca de laranja pode ser utilizada para aromatizar o arroz e os molhos e em doces.


Proteínas: 100 gramas da casca têm 1,2g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 0,98 g do nutriente.

Carboidratos: 100 gramas da casca têm 12,1g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 2,94 g do nutriente.

Fibras: 100 gramas da casca têm 6,48 g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 0,92 g do nutriente.

Fósforo: A casca possui cinco vezes mais fósforo do que a polpa. 100 gramas da casca têm 106,9 mg enquanto a mesma quantidade da polpa possui 18,9mg do nutriente. 



Talos de agrião

O talo de agrião é rico em vitaminas A, C, do complexo B, fósforo e ferro. "O consumo do alimento auxilia na redução da formação de radicais livres, ajudando na diminuição dos riscos de envelhecimento celular", conta Silva. O alimento pode ser ingerido cru em saladas ou em maioneses de legumes. Ele também pode ser combinado com carnes e é uma ótima opção para recheio de alimentos como pastel assado. O talo tem um sabor picante.

-Confira em quais nutrientes o talo do agrião vence a folha

Ferro: O talo possui 56 vezes mais ferro do que a folha. 100 gramas de talo têm 11,3 mg enquanto a mesma quantidade da folha possui 0,20 mg do nutriente.

Fibras: 100 gramas de talo têm 0,59 g enquanto a mesma quantidade da folha possui 0,5 g do nutriente. 




Talo de brócolos

O talo de brócolis contém vitamina C e A e é utilizado para enriquecer preparações ou em recheios. "A vitamina A é interessante porque diminui os riscos de inflamações na pele", justifica Silva.

De acordo com o American Institute for Cancer Research dos Estados Unidos, o talo do brócolis também é rico em isotiocianatos, fitoquímicos que podem desempenhar um papel no combate ao câncer. O alimentos pode ser preparado na forma de purê ou creme. Ele também é um ótimo recheio de comidas como a pizza.

-Confira em qual nutriente o talo do brócolis vence o ramo

Potássio: 100 gramas de talo têm 5,34 g enquanto a mesma quantidade do ramo possui 3,16 g do nutriente. 




Talos de couve
O talo da couve é rico em cálcio e potássio. "Este último nutriente auxilia no controle da pressão do sangue, na formação dos nervos e previne câimbras", diz Borba. O alimento pode se tornar um delicioso purê, creme e até mesmo requeijão.

-Confira em qual nutriente o talo da couve vence a folha

Potássio: O talo da couve possui 43 vezes mais potássio do que a folha. 100 gramas de talo têm 7,34 g enquanto a mesma quantidade da folha possui 0,17 g do nutriente. 


A folha de beterraba é rica em vitamina C - Foto: Getty Images

Folha de beterraba

A folha de beterraba é rica em diversos nutrientes. Ela possui 17 vezes mais vitamina C do que a polpa da laranja. "Este nutriente aumenta as defesas do organismo, auxiliando na prevenção e no combate de infecções como a gripe", conta Borba. Além disso, a folha de beterraba também é uma fonte de carotenóides e potássio.

O alimento pode ser consumido cru em saladas e também como um charuto preenchido com o recheio de sua preferência.

-Confira em quais nutrientes a folha da beterraba vence a polpa

Vitamina C: A folha possui 126 vezes mais vitamina C do que a polpa. 100 gramas da folha têm 557 mg enquanto a mesma quantidade da polpa possui 4,4 mg do nutriente.

Potássio: 100 gramas da folha têm 7,2 g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 2,82 g do nutriente

Fibras: 100 gramas da folha têm 1,34 g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 2,82 g do nutriente. 


Folha de couve-flor

A folha de couve-flor é rica em vitamina C, fósforo e cálcio. "Este último nutriente auxilia na diminuição dos riscos de osteoporose", ressalta Silva. Este alimento é um ótimo substituto para a couve, podendo ser consumido cru ou refogado.

-Confira em quais nutrientes a folha da couve-flor é melhor do que o ramo

Vitamina C: A folha de couve-flor possui duas vezes e meia mais vitamina C do que o ramo e quatro vezes mais do que a polpa de laranja. 100 gramas da folha têm 122,7 mg enquanto a mesma quantidade do ramo possui 48,2 mg do nutriente.

Cálcio: 100 gramas da folha têm 26,1 mg enquanto a mesma quantidade do ramo possui 22 mg do nutriente.

Fósforo: 100 gramas da folha têm 44,8 mg enquanto a mesma quantidade do ramo possui 44 mg do nutriente.

Potássio: 100 gramas da folha têm 5,05 g enquanto a mesma quantidade do ramo possui 0,29 g do nutriente. 



Semente de abóbora

A semente de abóbora é rica em fibras, proteínas, potássio e lipídios. "O alimento possui fibras insolúveis que melhoram o funcionamento do intestino e também possui gorduras insaturadas que auxiliam na redução dos riscos de doenças cardiovasculares", conta Silva.

A semente pode ser utilizada em saladas ou como um aperitivo, inclusive esta comida já é comercializada em casas de produtos naturais.

-Confira em quais nutrientes a semente da abóbora é melhor do que a polpa

Proteínas: A semente de abóbora possui 31 vezes mais proteínas do que a polpa. 100 gramas da semente têm 25,39 g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 0,81g do nutriente.

Fibras: A semente também possui 28 vezes mais fibras do que a polpa. 100 gramas da semente têm 29,6 g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 1,06 g do nutriente.

Potássio: 100 gramas da semente têm 2,41 g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 0,33 g do nutriente.

Lipídios: 100 gramas da semente têm 12,54 g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 0,14 g do nutriente. 



Semente do melão

Esta semente é rica em fibras, carotenóides, proteínas e lipídios. "Este último regula a temperatura do corpo, protege nossos órgãos contra traumas, como quedas fortes, por exemplo. Além de facilitar o transporte de nutrientes pelo corpo e também fornecer energia", constata Borba.

A semente pode ser seca e depois triturada, o resultado pode ser consumido com a salada de frutas, outra opção é utilizar o alimento em saladas.

Confira em quais nutrientes a semente do melão é melhor do que a polpa

Proteínas: 100 gramas da semente têm 15,86g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 0,62 g do nutriente.

Lipídios: A semente de melão possui 332 vezes mais proteínas do que a polpa. 100 gramas da semente têm 14,97g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 0,045 g do nutriente.

Fibras: 100 gramas da semente têm 30,94 g enquanto a mesma quantidade da polpa possui 0,58 g do nutriente.
    Carotenódes: 100 gramas da semente têm 45,05 mg enquanto a mesma quantidade da polpa possui 21,3 mg do nutriente.


    Rama de cenoura

    A rama de cenoura possui vitamina C, carotenóides, ferro e cálcio. "Este nutriente é responsável pela formação e manutenção dos ossos", explica Borba. A rama de cenoura é utilizada para compor os molhos das massas e você também pode comer a rama cozida.

    Confira em quais nutrientes a rama da cenoura é melhor do que a raiz


    Proteínas: 100 gramas da rama têm 2,76g enquanto a mesma quantidade da raiz possui 0,68 g do nutriente.

      Fibras: 100 gramas da rama têm 3,19 g enquanto a mesma quantidade da raiz possui 1,11 g do nutriente.
      • Vitamina C: 100 gramas da rama têm 16,65 mg enquanto a mesma quantidade da raiz possui 6,24 mg do nutriente.
      • Cálcio: A rama possui 14 vezes mais cálcio do que a raiz. 100 gramas da rama têm 68,7 mg enquanto a mesma quantidade da raiz possui 5 mg do nutriente.

      segunda-feira, 29 de maio de 2017

      Fumo líquido ou produtos fumados. Sim ou não?


      Sugestão para substituir o fumo líquido ou o sabor fumado:

      -3 colheres (sopa) de óleo de sementes de sésamo/gergelim tostado
      -1 colher (sopa) de molho shoyu
      -3 colheres (sopa) de azeite
      -1 colher (sopa) de vinagre 1 pitada de sal
      -1 pitada de pimenta calabresa em pó ou páprica picante (opcional)

      Deixe o alimento marinar nesta mistura de um dia para o outro no frigorifico e utilize normalmente na sua receita.


      O Fumo Líquido é produzido pela condensação de fumo e vapores obtidos pela queima da madeira. Proporciona sabor, aroma e cor de defumado ao alimento e é utilizado em produtos e pratos vegetarianos.

      Entretanto, conforme alerta a filósofa Sônia T. Felipe, o fumo líquido não pode ser considerada um produto vegano, já que foi testada em animais. O nome do teste é LD50, e após a tortura da experimentação, todos os animais que sobrevivem são mortos.
      Além disto, o produto é altamente cancerígeno, segundo T. Collin Campbell em seu livro Whole: rethinking the Science of Nutrition.

      Existem alguns alimentos defumados de origem vegetal/mineral: pimenta chipotle, páprica defumada, sal defumado, chá preto defumado, tofu defumado e amêndoas defumadas, alimentos que, em princípio, passam por processo de defumação natural, com madeiras nobres ou carvão.
      Apesar de não haver muita informação disponível sobre os malefícios à saúde destes alimentos em específico, é importante esclarecer que na fumaça de carvão há dois componentes cancerígenos: o alcatrão e o hidrocarboneto policíclico aromático (presentes também no fumo do cigarro) , que impregnam o alimento durante a defumação. Portanto, mesmo que o produto seja naturalmente defumado, ele ainda será 'potencialmente cancerígeno'.

      domingo, 12 de março de 2017

      Arroz tufado


      Ingredientes:
      1 Chávena de Arroz
      3 a 4 Chávenas de Água
      1 pitada de Sal
      Óleo, para fritar

      Preparação:
      Coza o arroz, com uma pitada de sal, durante 20 a 22 minutos. Não estranhe a quantidade de água. Deve-se cozer o arroz em água abundante para que este não cole.
      Depois de cozido, escorra, e depois espalhe-o no tabuleiro do forno, previamente forrado com papel vegetal. Espalhe muito bem, separando o mais possível os grãos de arroz, de forma a facilitar o processo de secagem.
      Leve ao forno, a 100ºC, por cerca de 3 horas, até que o arroz esteja completamente seco e sem vestígios de humidade. Durante este tempo, deve ir mexendo o arroz para que este se solte e para que seque de forma uniforme.
      Quando estiver completamente seco, retire do forno, e com as mãos separe todos os grãos de arroz, esfregando os grãos entre a palma da mão.
      Aqueça óleo numa frigideira wok, ou outra que seja funda, e quando estiver bem quente frite pequenas porções de arroz. Para este processo o recomendável é usar um passador de rede, e colocar um pouco de arroz lá dentro e depois mergulhar no óleo bem quente. Deixe fritar alguns segundos, só até que todos os grãos estejam tufados (é mesmo só alguns segundos!). Retire o passador, sacuda-o bem mas com cuidado para retirar o excesso de óleo, e coloque o arroz num tabuleiro forrado com papel de cozinha.
      Repita a operação até acabar o arroz.
      Fácil não é?!

      Agora é só deliciar-se com estas pipocas de arroz bem estaladiças!

      Se não consumir de imediato, reserve num recipiente hermeticamente fechado.

      Vejam este vídeo, vai ajudar a perceber melhor o processo de fritura: https://www.youtube.com/watch?v=Wit-BIolQCk


      Sem cozer o arroz: simples...
      https://youtu.be/Oz6eTYJkdYA

      *** Pode fazer com outro cereal.

      Fonte: Intrusa na Cozinha

      terça-feira, 7 de março de 2017

      Maionese de couve-flôr


      Ingredientes

      300 gramas de couve-flor cozida (cerca de 3 chávenas/xícaras ou uma unidade pequena)
      1/3 de chávena/xícara (de chá) de azeite
      1 colher (de sopa) de sumo/suco de limão
      1 dente de alho pequeno
      Sal a gosto
      Pimenta a gosto


      Modo de preparo

      Antes de tudo, corte a couve-flor em pedaços menores e cozinhe até ficar bem macia, quase desmanchando. E escorra toda a água.
      Em um liquidificador, coloque a couve-flor cozida, o azeite, o sumo/suco de limão, o dente de alho e tempere com sal e pimenta moída a gosto.
      Bata bem, até obter uma mistura bem uniforme.
      Está pronto!

      Receita do Presunto Vegetariano/


      sábado, 4 de março de 2017

      "Cordon Bleu" com Pleurotus


      Ingredientes
      6 "filetes" de pleurotus
      q.b. sal; pimenta de moinho e alho picado
      1 alho francês
      2 cenouras
      azeite
      2 courgettes
      1 beringela
      queijo vegetal fatiado
      Farinha para panar
      água de demolhar linhaça
      Pão ralado para panar
      Meio limão

      Preparação
      Ligue o forno e regule-o para os 200 °C.

      Prepare e tempere os cogumelos com sal, pimenta e alho.

      Corte o alho francês em rodelas e lave em água corrente. Pele as cenouras e corte em Juliana.

      Num pouco de azeite, coloque o alho francês e a cenoura, tape e deixe cozinhar sobre lume brando. Entretanto lave a beringela, corte-a em cubos pequenos e salpique com sal. Lave as courgettes, apare-lhes as extremidades e corte-as como a beringela. Junte a courgette e a beringela, depois de passada por água fria corrente e seca, aos outros legumes. Retifique os temperos e deixe suar tapado durante cerca de 10 minutos.

      Coloque fatias de queijo sobre os cogumelos e deitei por cima os vegetais.

      Prenda com um palito em cada extremidade e passe-os por farinha, em seguida pela água da linhaça e depois por pão ralado. Coloque os filetes lado a lado num tabuleiro untado e regue-os com um pouco de azeite. Leve ao forno até que os cogumelos estejam "corados" e o queijo derretido.

      Adicione o sumo de limão ao molho. Pode juntar salsa ou outra aromática a gosto.

      Sirva os filetes salpicados com o molho e acompanhe com arroz ou puré.


      segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

      Cenouras à Algarvia



      2 cenouras (300 g), cortadas em rodelas
      Água
      3 dentes de alho
      1 ramo de coentros ou salsa
      2 c. sopa de vinagre
      2 c. sopa de azeite
      Sal e pimenta preta moída na hora q.b.

      Coza a cenoura, de preferência a vapor.
      Pique o alho, as ervas frescas, misture com o vinagre e o azeite e tempere com sal e pimenta.
      Envolva com a cenoura e deixe tapado no frigorífico a marinar de um dia para o outro.

      ※ thermomix_bimby

      Coloque 500 g de água no copo, a Varoma com as cenouras e programe 30 min/Varoma/vel 1. Retire e reserve.
      Coloque no copo vazio o alho, as ervas frescas, o vinagre, o azeite, sal e pimenta e pique 3 seg/vel 5-7.
      Misture tudo e deixe tapado no frigorífico a marinar de um dia para o ou